Blog

Tudo sobre o nabo e os seus benefícios

by 1 de May de 2024

É uma planta da família das crucíferas (couves), uma raiz super versátil e pouco consensual. Na alimentação mediterrânica é menos explorado, sendo maioritariamente consumido em sopas ou cozido (no cozido à portuguesa), no entanto existem muitas maneiras de consumir nabo e beneficiar das propriedades deste poderosos alimento na nossa dieta. Na Medicina Oriental e na Macrobiótica o nabo é um aliado poderoso para ser consumido ao longo do ano, mas que tem especial destaque na estação da Primavera, pois promove uma limpeza do fígado e da vesícula.

O seu sabor é intenso e um pouco picante e amargo se cru, e quando o consumimos com a sua rama, estamos a potenciar ainda mais os seus benefícios, pois a rama atua na limpeza dos pulmões (tosses e bronquites) e a raiz na do fígado. De tal forma que consumir o nabo na íntegra traz imensos benefícios para a nossa saúde. Quando cozido o nabo torna-se doce e está incluído na categoria dos vegetais doces na medicina oriental.

Quando consumido com regularidade o nabo ajuda a fortalecer o sistema imunitário e melhora o aspeto da pele.

O caldo de nabo é um remédio caseiro muito utilizado, um tónico incrível para desintoxicar, limpar o fígado e o nabo ralado num prato mais pesado ajuda na digestão das gorduras. É comum vermos pratos de tempura ou sushi com nabo ralado ao lado, precisamente para este efeito. Gosto de colocar uma gota de shoyou e adicionar aos meus pratos e gosto ainda de fazer tostas finas de nabo cru e barrar com um patê caseiro.

Como escolher nabos?

Para quem não pode apanhar da horta os seus próprios nabos deixo abaixo algumas dicas sobre como escolher na hora de comprar:

  1. Verificar a firmeza – Ao escolher o nabo é importante verificar que este está firme mas não rijo demais pois pode estar já um pouco fibroso. Isto pode acontecer com alguns nabos apanhados mais tardiamente.
  2. Optar pelos nabos mais pesados e com raízes menores – Pode ajudar a garantir que esta raiz esteja mais macio.
  3. Escolher os que possuem as ramas mais frescas  – As folhas do nabo também precisam te ter um aspeto fresco, verde vivo e sem manchas.

Como conservar nabos?

No frigorífico ou no congelador – Os nabos duram imenso tempo no frigorífico e podem também ser congelados para usar em sopas ou preparados que depois irão ser passados. As ramas devem ser consumidas de imediato pois estragam com mais facilidade.

Como arranjar nabos?

  1. Separar as ramas do tubérculo e reservar as ramas num saco e colocar no frigorífico para consumir em apenas dois ou três dias.
  2. Lavar e escovar os nabos com uma escova de vegetais.
  3. Secá-los bem e colocar num saco de pano para vegetais no frigorífico.

Diferentes formas de consumir nabos no Verão e no Inverno

No verão:

  • Cru ralado em saladas
  • Cru em fatias como se fossem tosta barrado com húmus, guacamole, pesto ou miso doce ou outro patê caseiro.
  • Ralado para acompanhar pratos mais pesados.
  • Salteado com alho e um pouco de shoyou

No Inverno

  1. Escaldado em fatias médias
  2. Em caldo para consumir como tónico que ajuda na limpeza e descontração do fígado.
  3. Num cozido de vegetais
  4. Ralado cru para acompanhar pratos mais pesados.

Pão de Banana Vegan e Sem Açúcar

by 3 de April de 2024

Pão de banana é daquelas receitas que a maioria das pessoas gosta, incluíndo eu! Foi a pensar nelas que criei esta receita de pão de banana vegan. Uma espécie de bolo, a puxar mais ao docinho, bem fofinho e húmido, sem ovos e sem açúcar. Super rápido e fácil de fazer, e só são precisas 3 coisas para além dos ingredientes: um liquidificador, uma forma e um forno. Vamos lá à receita!

Sobre este pão de banana vegan e sem açúcar tenho a dizer:

  • 8 ingredientes – banana, farelo de aveia, leite vegetal, canela, bicarbonato de sódio, vinagre de maçã e fermento para bolos, vinagre, maple syrup e oleaginosas como nozes, avelãs ou amêndoas (opcional).
  • Vegan – apto para vegans, vegetarianos, alérgicos ao ovo, ao leite (APLV) e intolerantes à lactose.
  • Sem glúten (desde que o farelo venha identificado) – por isso apto para celíacos e intolerantes ao glúten.
  • Simples – Em apenas 3 passos está feito!
  • Fácil e Rápido – São precisos apenas 15 min. mais o tempo da cozedura.
  • Durabilidade – Dura cerca de 3 dias à temperatura ambiente.
  • Conservação – Pode ser congelado até 3 meses.

Vamos precisar de:

  • 300g de bananas maduras batidas (cerca de 2 – 3 bananas)
  • 200ml de leite vegetal
  • 230g de farelo de aveia
  • canela a gosto
  • 1 colher de chá de fermento biológico para bolos
  • 1 colher de chá de bicarbonato de sódio
  • 1 colher de chá de vinagre de maçã
  • 1 banana partida longitudinalmente para decorar
  • oleaginosas como nozes, avelãs ou amêndoas (opcional)
  • maple syrup ou outro adoçante líquido para pincelar a banana (opcional)

Como fazer pão de banana vegan e açúcar?

  1. Unta-se uma retangular (de bolo inglês) e pré-aquece-se o forno a 180º.
  2. Batem-se as bananas com o leite vegetal e a canela num liquidificador.
  3. Junta-se o farelo de aveia e continua-se a bater.
  4. Adiciona-se o fermento, o bicarbonato de sódio e envolve-se tudo à mão.
  5. Coloca-se na forma, junta-se a banana cortada em cima e pincela-se com maple syrup.
  6. Leva-se ao forno a cozer por cerca de 30 – 40 min. (Fazer o teste do palito)

Quinoa

by 11 de December de 2023

A quinoa é um grão antigo originário dos Andes, na América do Sul, cultivado há mais de 5000 anos e tem sido um alimento básico na dieta de várias culturas, desde os incas. Atualmente a quinoa, é reconhecida por ser um alimento completo devido ao seu valor nutricional, e também devido aos seus inúmeros benefícios para a saúde. Atualmente a quinoa também já é cultivada em Portugal e é possível consumir quinoa portuguesa. Encontra-se em alguns supermercados biológicos e noutros convencionais. Neste artigo vamos explorar um pouco mais sobre a quinoa, os benefícios do seu consumo e como aprender a prepará-la na cozinha.

O que é a Quinoa?

A quinoa é considerada um pseudo cereal, pois não pertence à família das gramíneas, como o trigo e o arroz, por exemplo, mas é preparada e consumida de forma semelhante aos mesmos. É uma excelente fonte de proteína vegetal completa, o que significa que contém todos os aminoácidos essenciais que nosso corpo precisa.

Além disso, a quinoa não tem glúten, o que a torna uma boa opção para pessoas com sensibilidade ao glúten ou doença celíaca.

Quais os benefícios do Consumo de Quinoa:

  • A quinoa é uma fonte vegetal rica em proteínas (e muitos outros nutrientes), sendo uma opção saudável para vegetarianos e veganos e ajuda na construção e reparação de tecidos musculares.
  • É rica em fibras que ajudam na digestão e na regulação do intestino.
  • Tem baixo índice glicémico, o que significa que ajuda a controlar os níveis de açúcar no sangue.
  • É também uma fonte de ácidos gordos, ómega 3, benéficos para o coração e podem ajudar a prevenir algumas doenças cardíacas.

Como usar a Quinoa?

Grande parte das pessoas que experimenta quinoa tem uma má experiência, queixando-se do seu sabor amargo, e por isso não volta a repetir. Quando isto acontece é sinal que a quinoa não foi desamargada. O que lhe dá este sabor amargo são as saponinas nela presentes. Ao colocar de molho, a quinoa vai desamargar.

Preparar a Quinoa:

  1. Colocar de molho em água por cerca de 30 minutos.
  2. Lavar muito bem, escorrer e depois está pronta para cozinhar.

Como cozinhar Quinoa?

A quinoa cozinha-se com o dobro da água e um pouco de sal numa panela e deixa-se ferver. Em seguida, reduz-se o lume para o mínimo, tapa-se e cozinha por cerca de 15 minutos, ou até que a quinoa tenha absorvido toda a água.

Após a cozedura, deixa a quinoa descansar por alguns minutos antes de abrir a panela com a tampa, isso ajuda a dar uma textura mais leve e fofa. Depois soltam-se os grãos com a ajuda de um garfo.

Uma outra forma de cozinhar a quinoa pode ser juntamente com outro cereal integral (ex. arroz integral, bulgur, millet) e colocar 2 partes do cereal para 1 de quinoa cozinhada como explicámos acima).

A quinoa é muito versátil e pode ser usada também em saladas, sopas, guisados, como acompanhamento em pratos principais ou nestas incríveis papas que cá em casa todos adoramos

Escalda Pés: O que é e para que serve?

by 8 de December de 2023

O escalda pés é uma prática ancestral, reconhecida pelas suas propriedades terapêuticas e relaxantes. As suas origens remontam às civilizações antigas, como Grécia e Roma, onde era utilizado não apenas como um momento de relaxamento, mas também como uma prática social e de purificação.

O que é o Escalda Pés?

Este ritual milenar vai além do relaxamento dos pés. Segundo antigas tradições, é um método de conexão entre corpo e mente, que promove não só o alívio do stress e da fadiga física e mental, mas também trata questões de ansiedade, dores nas pernas, problemas de circulação, enxaquecas e dores de cabeça, gripes e constipações e atua também nas nossas emoções, pois ajuda a eliminar toxinas através da pele. Trata-se de um processo de purificação, ao escaldarmos os pés, arrefecemos a mente.

A imersão dos pés em água quente, sal e ervas não só proporciona conforto, mas está também relacionada com conceitos de acupuntura e reflexologia que sugerem que os pontos nos pés estão ligados aos órgãos internos do nosso corpo, e ao estimulá-los estamos também a tratá-los.

Quais os benefícios do Escalda Pés?

  • Promove o relaxamento localizado na zona dos pés que se expande até à mente.
  • Afeta de forma positiva o equilíbrio energético do corpo. Ajudam na preservação da energia ancestral, especialmente relacionada com os rins, que por sua vez estão ligados à vitalidade e à emoção do medo.
  • Pode ajudar a equilibrar a humidade corporal, influenciando também o baço e o pâncreas.
  • Oferecem um meio de tratamento via terminais nervosos, presentes nos pés, para dores e lesões em diversas partes do nosso corpo.

Como fazer um Escalda Pés?

A sua preparação envolve uma bacia com água quente, sal grosso e ervas (como por exemplo camomila, alecrim e/ou alfazema), cada uma com propriedades terapêuticas. No entanto pode-se optar pela sua forma mais simples (água com sal marinho). Vamos ver um exemplo de preparação  passo a passo.

  1. Aquecer água e colocar num alguidar. A temperatura da água deve ser a princípio muito quente, diria mesmo insuportável.  
  2. Deve-se ir colocando os pés aos poucos, resistindo à temperatura da água.
  3. Por fim faz-se a imersão dos pés por cerca de 20 a 30 minutos ou até ser confortável.

Para tornar este momento ainda mais completo é possível criar um ritual com música relaxante, incenso e até uma esfoliação prévia dos pés para remover células mortas e melhorar a absorção de todos os benefícios do Escalda Pés.

Variações e tipos de Escalda Pés

As variações do Escalda Pés dependem das ervas utilizadas. Ervas calmantes, como camomila e alfazema por exemplo, promovem uma sensação de maior relaxamento, enquanto o alecrim e a hortelã, por exemplo, estimulam e melhoram a circulação sanguínea.

Adicionalmente podem ser utilizados óleos essenciais para criar uma experiência sensorial mais intensa, ampliando os benefícios terapêuticos do ritual.

O Escalda Pés, embora remonte a tempos antigos, continua a ser uma prática válida e que devíamos introduzir na nossa rotina, sobretudo nos meses de inverno, para o nosso bem-estar físico e emocional. Como pudemos ver neste artigo, os seus benefícios vão além do simples relaxamento dos pés, abrangendo tratamentos terapêuticos que conectam mente, corpo e emoções, tornando-o um ritual milenar de profunda importância para a nossa saúde integral.

A Energia Metal segundo a Macrobiótica

by 9 de November de 2023

A filosofia Macrobiótica, baseia-se, entre outros princípios, na teoria das 5 transformações ou dos 5 elementos, enraizada na Medicina Tradicional Chinesa, que fala sobre a nossa relação com os alimentos, os órgãos relacionados com os mesmos e sobre a forma como podemos otimizar a nossa saúde.

Esta teoria baseia-se na ideia de que tudo está em constante mudança, mantendo um equilíbrio dinâmico, conhecido como homeostase, tanto no ambiente natural como no nosso corpo.

Os 5 elementos são Água, Madeira, Fogo, Terra e Metal. A natureza reflete o equilíbrio de forma simbiótica e perfeita através destas 5 transformações, numa dinâmica sistémica:

  • A Água rega as plantas (Madeira/Árvore),
  • As plantas alimentam o Fogo,
  • Que nutre o Solo,
  • E que dará vida ao Metal

As 5 Transformações e as Estações do Ano

Se olharmos para as Estações do ano podemos ver que a cada estação corresponde também uma transformação, exceto à estação verão que conta com duas. Assim, a energia Madeira corresponde à primavera, a energia fogo ao verão (pico do verão), a energia Solo ou Terra ao final do verão, a energia Metal remete-nos para o Outono e a Energia Água para o Inverno. Neste momento estamos a viver a Energia Metal.

O que é a Energia Metal?

É uma energia associada ao Outono, quando a temperatura começa a descer e a energia da estação entra na sua fase mais concentrada. Na Natureza assistimos à queda das folhas e dos frutos, as sementes e os ramos verdes secam e ficam os troncos e as raízes. Celebram-se as colheitas, representando a abundância da mãe Natureza e é também período de hibernação para algumas plantas, depois de terem acumulado energia nas estações anteriores.

A energia Metal convida ao recolhimento, à reflexão. É tempo de deixar ir o que não interessa, de introspeção interior e de purificar e refinar a fim de que o metal se torne precioso. É a altura de preparar o corpo e a mente para e temporada mais fria do ano.

Metal rege-se pela estabilidade, pelo controlo e pela precisão, sendo também associado à maturidade, ao período da meia-idade quando falamos em fases da vida. A sua cor é o branco e o sabor que traz associado a si é o picante.  

Quais são os alimentos que favorecem a Energia Metal?

Os alimentos que favorecem a energia Metal são aqueles que possuem as cores do Outono (castanho, amarelo, branco, laranja, vermelho), e que crescem mais perto do solo, sendo também muito recomendado consumir as ramas verdes nesta altura do ano. Os métodos culinários contemplam preparações mais fechadas (estufados longos, preparações no forno), que concentram mais a energia dos alimentos mais macios, suaves e doces.

Estes alimentos associados ao elemento Metal vão favorecer também os órgãos associados a esta energia: pulmões e intestino grosso. A saber:

  • Raízes como gengibre, cenoura, nabo, beterraba, batata-doce, não esquecendo as suas ramas.
  • Folhas verdes como agrião ou rúcula.
  • Vegetais de cor branca como alho e cebola.
  • Frutas como peras e alperces (em alguns casos devem ser ligeiramente cozinhados porque podem ajudar a soltar mucos).
  • Alimentos de cor amarela e laranja como as abóboras e as laranjas.
  • Cereais como o arroz integral e a aveia.
  • Picles e outros fermentados caseiros.
  • Rábano ou mostarda pelo seu sabor um pouco mais picante associado a esta energia.
  • Feijão.

Quais os órgãos associados à Energia Metal?

Os órgãos associados à energia Metal incluem os pulmões e o intestino grosso, que desempenham papéis vitais na respiração e na eliminação de resíduos.

Quais os problemas de saúde relacionados com a Energia Metal?

Os problemas de saúde frequentemente relacionados à energia Metal incluem doenças respiratórias, como constipações, resfriados, gripes, alergias diversas, tão comuns nesta altura do ano, assim como problemas intestinais de todo o tipo (diarreia, obstipação, etc.).

A Energia Metal e as Emoções

Em termos emocionais, a energia Metal está ligada à introspeção, à organização e à capacidade de deixar ir o que não é necessário, podendo ajudar-nos a encontrar clareza e discernimento na tomada de decisões importantes, trazendo disciplina e raciocínio lógico. Metal também está relacionado com o planeta Vénus. Por outro lado o excesso de Metal pode causar falta de comunicação, crueldade e frieza emocional.

Como identificar a Energia Metal em desequilíbrio?

A identificação de um desequilíbrio na energia Metal pode ser percebida através de vários sinais físicos e emocionais.

  • Dificuldades respiratórias, como asma, bronquite, alergias sazonais e constipações frequentes.
  • Distúrbios intestinais, como obstipação crónica, diarreia, síndrome do intestino irritável ou outros.
  • Depressão, tristeza e melancolia persistentes e falta de motivação. Pode haver uma sensação de desapego emocional.
  • Dificuldade em tomar decisões, falta de foco, confusão mental e uma sensação geral de desorganização.
  • Comportamento obsessivo ou excessivamente rígido, perfeccionismo e necessidade de controlo pelo excesso de disciplina.
  • Problemas de pele como erupções cutâneas, acne persistente ou pele seca e escamosa.
  • Distúrbios autoimunes ou doenças que afetem o sistema imunitário.

O que pode desgastar a Energia Metal?

A Energia Metal pode ser desgastada por uma série de fatores, muitos dos quais estão relacionados com o nosso estilo de vida. Aqui estão alguns exemplos do que pode desgastar a Energia Metal:

  • Falta de contacto com a Natureza, passar muito tempo em ambientes fechados, longe da terra.
  • Uso excessivo de tecnologia que pode sobrecarregar a mente e distrair da introspecção e da reflexão.
  • Exposição a produtos químicos sintéticos presentes em alimentos processados, produtos de limpeza e poluentes ambientais.
  • A exposição prolongada a ares condicionados e a ambientes que alterem permanentemente as  condições ambientais.
  • Stress e ambientes de trabalho muito exigentes, com prazos apertados e demasiada pressão.
  • Fibras sintéticas e roupas Apertadas que restrinjam o movimento e impeçam o fluxo de Energia pelo corpo.
  • Dar constantemente aos outros, sem cuidar de si mesmo.
  • O consumo excessivo de alimentos que não são consistentes com a Energia Metal.
  • Excesso de Limpeza e Ordem.

Quais os alimentos que mais prejudicam a Transformação Metal

Os alimentos que mais prejudicam a transformação metal são:

  • Produtos lácteos
  • Açúcar
  • Alimentos processados, frios, crus e secos
  • Especiarias em excesso
  • Farinhas (especialmente as refinadas)
  • Carne (especialmente a vermelha)

Em resumo, a Energia Metal convida-nos a abraçar o Outono como uma época de reflexão e preparação. Ao cuidarmos de nossos pulmões e intestino, e ao escolhermos alimentos adequados, podemos equilibrar essa energia e promover nossa saúde física e emocional durante esta temporada de transição.

Curgete

by 9 de October de 2023

A curgete, originária das Américas Central e do Sul, conquistou o mundo com sua versatilidade. Geralmente disponível durante a primavera, verão e início do outono, a sua planta pertence à família das cucurbitáceas, da qual também fazem parte a melancia, o melão, a abóbora e o pepino.

A curgete é também uma excelente fonte de fibras que apoiam a digestão e possui vitaminas A e C que fortalecem o sistema imunitário.

As suas flores são comestíveis e têm um sabor suave e versátil, sendo muito utilizadas para elaborar iguarias gastronómicas em muitas partes do globo.

É um vegetal com elevada quantidade de água, dai ser um ótimo alimento que é colhido no verão. É boa crua ou cozinhada, muito versátil para elaborar pratos quentes (sopas, salteados de vegetais), pratos frios (saladas, picles, esparguete de curgete, etc) ou até mesmo molhos (pesto de curgete).

Subscribe to our newsletter

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit. Proin porttitor nisl nec ex consectetur, quis ornare sem molestie.