Soluções eco para a menstruação

Soluções eco para a menstruação

Vivemos num tempo de saturação do descartável e do plástico por diversos motivos. Se por um lado as pessoas têm mais consciência (individual, coletiva e ecológica), fruto também de mais informação acerca da velocidade com que estamos a (des)gastar o nosso planeta, por outro lado temos assistido ao aparecimento de novos produtos no mercado que acabam por espelhar essas preocupações. Como tal, o campo feminino também não fugiu à regra. Despertei para esta realidade há cerca de 8 anos quando estava grávida do meu primeiro filho. Foi nessa altura que adquiri o copo menstrual que só viria a testá-lo muito tempo depois do nascimento dele (o período só me veio tinha ele já 16 meses). Na altura também optei por usar fraldas reutilizáveis e a ideia de não usar plástico em mim fazia-me cada vez mais sentido, quer pelo ambiente, quer pelo meu bem estar-pessoal.

 

No tempo da minha mãe…

Quando a minha mãe me dizia que no tempo dela se usavam umas toalhinhas de pano laváveis para absorver o sangue da menstruação, aquilo soava-me totalmente arcaico. Acreditava, tal como a minha mãe, que os tampões e os pensos descartáveis eram um avanço tecnológico incrível para o bem-estar feminino. Fáceis de transportar, de colocar e de descartar em qualquer caixote do lixo. Estava redondamente enganada. Os materiais utilizados nestes objetos descartáveis são poluentes, não são recicláveis, consomem muitos recursos naturais na sua produção (como a água por exemplo), para além de causarem um sobreaquecimento suscetível de provocar maior irritação na zona vaginal. Foi depois desse meu despertar e nas minhas pesquisas que percebi que as tais toalhinhas fatela, old school e pouco práticas tinham evoluído para pensos de pano igualmente absorventes, muito mais confortáveis que os perecíveis, e 100% amigos do ambiente.

 

Dos copos menstruais às cuecas de menstruação

Depois do copo e dos pensos de pano que uso muitas vezes em simultâneo, fiz a minha mais recente descoberta neste mundo: as cuecas de menstruação, um produto relativamente recente e inovador pelo menos em marcas nacionais que agora as estão a fabricar.

Nestas pesquisas também fiquei a saber que uma mulher descarta entre 113 e 136kg de pensos, tampões e aplicadores durante a vida.

Portanto se não alterarmos nada na nossa rotina menstrual, seremos responsáveis pelo descarte de mais de 15.000 coletores menstruais cheios de plásticos e tóxicos nocivos. No mínimo assustador!

Vou apresentar cada um dos sistemas, com vantagens e desvantagens, baseado apenas na minha experiência.

 

Copo menstrual

Para quem não conhece o copo menstrual consiste num objeto redondo (com o formato de um copo) com um pé na ponta feito em silicone, que é colocado na vagina, fazendo vácuo e originando que o sangue fique retido naquele receptáculo, que depois é esvaziado após algumas horas.

A utilização do copo menstrual é muito semelhante à de um tampão, com a diferença e a vantagem de que apenas acumula o fluxo menstrual em vez de o absorver. Além disso o copo menstrual possui mais as seguintes vantagens:

  • Não seca nem transpira como os pensos e os tampões.
  • É feito de silicone cirúrgico, macio e flexível, hipoalergénico, sem látex e inodoro.
  • Pode ser usado até 12 horas seguidas, inclusivamente durante a noite.
  • Não causa reações alérgicas nem perturba a lubrificação natural da vagina.
  • É económico e amigo do ambiente. Não é barato no imediato porque se dá o dinheiro à cabeça, mas usado com os devidos cuidados pode durar até 10 anos.

O copo menstrual é sem dúvida muito confortável e prático possuindo apenas a desvantagem da higienização do mesmo fora de casa. Se temos de trocar numa casa de banho pública é um pouco mais chato, mas também não é nenhum bicho de sete cabeças.

Os copos menstruais variam de tamanho e consoante as marcas, há marcas que distinguem entre mulheres que já tiveram parto vaginal e as que ainda não tiveram e há marcas que simplesmente funcionam por tamanhos.  Para higienizá-lo basta seguir as indicações da marca. Existem inclusivamente esterilizadores de copos menstruais que também podem ser adquiridos em algumas lojas. Adquiri o meu copo menstrual na Meekbum.

 

Pensos reutilizáveis

São de facto um conforto igual a usar umas cuecas de algodão. Se os pensos estiverem bem ajustados e não fugirem da cueca, parece que fazem parte da mesma. Os pensos reutilizáveis normalmente têm abas para prender às cuecas com um sistema de molas, que pode permitir dois ajustes (dependendo das marcas), possuem uma camada extra de tecido no centro para absorver o sangue, e são impermeáveis na parte da baixo para não molharem a cueca. Tal como os descartáveis há pensos de vários tamanhos consoante a absorção que se pretenda e também pensos específicos para a noite ou pós-parto, por exemplo.

Os pensos de pano podem ser adquiridos em lojas online que vendem fraldas reutilizáveis. Uso de várias marcas e destaco uma marca portuguesa, a Fluffy Organic & Eco.

pensos reutilizáveis

 

 

Como vantagens aponto exatamente as mesmas que foquei no copo menstrual:

  • Não secam nem transpiram a pele.
  • Não causam reações alérgicas nem perturbam a lubrificação natural da vagina.
  • São económicos e amigos do ambiente. Tal como o copo menstrual não ficam baratos no imediato, porque requerem um investimento inicial e é necessário fazer algum stock, mas têm uma durabilidade muito grande.

O tratamento dos pensos reutilizáveis após a sua utilização não é complicado e varia consoante cada pessoa, mas há 3 aspectos que se devem ter sempre em conta:

  1. Pré-lavar a frio. O sangue não pode levar com água quente, pois dessa forme coze e deixa mancha na peça.
  2. Após pré-lavagem os pensos podem ir à máquina com outra roupa. Nós cá em casa lavamos com as fraldas de pano.
  3. A terceira dica é a de usar um sabão específico para ajudar na remoção de nódoas. Eu também uso o da Fluffy, especificamente concebido para pensos e cuecas menstruais, com agentes branqueadores que removem as manchas.

 

Cuecas de menstruação

São em tudo iguais a umas cuecas mas com a zona central reforçada com um absorvente integrado que vai absorver o sangue menstrual. Eu já tinha curiosidade em experimentar estas cuecas há algum tempo, mas ainda não me tinha decidido a comprar. Nesta última gravidez ofereceram-me umas para testar e acabei por fazê-lo no meu pós-parto. As minhas cuecas de menstruação são da Rêverie uma marca de lingerie portuguesa que eu já conheço bem, pois tem os meus soutiens de amamentar favoritos (que uso desde o meu segundo filho e adoro). O teste das cuecas correu tão bem que acabei por adquirir outras para mim, a par com mais soutiens.

 

cuecas menstruais

A marca tem dois tipos de cuecas menstruais: umas de fluxo normal, que equivale mais ou menos a 3 tampões em termos de absorção, e outras de fluxo mais abundante, indicadas para a noite que aguentam até 12h. Eu tenho um par de cada e usava a normal durante o dia e a mais abundante para a noite. Os tamanhos disponíveis vão do S ao XL. As cuecas de fluxo normal são um pouco mais baratas do que as de fluxo abundante mas ainda assim têm um preço bastante acessível: 22,90€ e 27,90€ respetivamente, mas a marca está a oferecer 30% de desconto até ao fim do mês de Março em todos os artigos, por isso compensa bastante! Basta irem até à página oficial da Rêverie no Facebook ou no Instagram.

Devo dizer que fiquei agradavelmente surpreendida com o conforto destas cuecas menstruais: macias ao toque, com um pouco de elasticidade, bastante absorventes e assentam muito bem. Gostei muito do corte super elegante, quem não souber nem percebe que são cuecas de menstruação. Pessoalmente acho as de fluxo abundante mais bonitas, pois possuem um cós rendilhado muito delicado.

 

 

As vantagens das cuecas menstruais são basicamente as mesmas do copo e dos pensos:

  • São ecológicas e reduzem a pegada ambiental.
  • A longo prazo serão economicamente mais rentáveis quando comparadas com absorventes higiénicos descartáveis.
  • Umas cuecas podem durar em média até 5 anos.

 

Como cuidar das cuecas de menstruação?

As cuecas de menstruação Rêverie são facílimas de usar, no entanto requerem alguns cuidados básicos. A saber:

  1. O primeiro de todos e o mais importante: lavar antes da primeira utilização!!!
  2. Após usá-las deve-se enxaguar com água fria para eliminar a maior parte do sangue. 
Apesar de não ser absolutamente necessário eu faço como faço nos pensos reutilizáveis: deixo um pouco de molho em água fria e depois esfrego com o meu sabão da Fluffy.
  3. Depois pode-se fazer o resto da lavagem à mão ou colocar a lavar na máquina a 30º ou menos sem qualquer tipo de amaciador.


Por possuírem a parte central absorvente demoram um pouco mais a secar, esta é para mim a única desvantagem do produto. A marca não aconselha a usar máquina de secar nem ferro de engomar, mas eu tive um filho em Janeiro e fiz batota: usei o aquecedor a óleo – com muito cuidado!!!! – e com uma toalha turca por baixo para não dar calor direto. Esta é a minha dica apenas para aquelas alturas de inverno em que chove e é muito difícil secar roupa.

Espero que tenham ficado um pouco mais elucidadas sobre cada um dos produtos e que possam fazer escolhas mais conscientes!

 

 

 



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *